segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Bolo Mulato - Fotoreportagem

Batem-se os 4 ovos com 250 grs. de açúcar
junta-se 1 chávena de leite
250 grs. de farinha
1 chávena de manteiga ou azeite ou óleo (eu usei azeite)
1 colher de chá de canela
1 colher de chá de bicarbonato [e de fermento] e bata muito bem.
Quer fogo forte e a forma é untada com manteiga.
Coloquei também pão ralado.
E cá está ele, lindo e saboroso.
Belíssimo Bolo Mulato. Cresce lindamente, rápido e fica super-fofo. Maravilhoso para um chá ou para acompanhar um geladinho. Fiquei fã.

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Ovos Moles, Fatias da China e Pudim Lisboeta

Almanaque d'O Século para 1927 - pág 109

Ovos Moles

250 gramas de açúcar, 6 gemas de ovos, 3 claras batidas em castelo.
Leva-se o açúcar a ponto de pasta; tira-se para fora do lume e deixa-se arrefecer um pouco. Juntam-se-lhe as gemas que já devem estar batidas, não sendo preciso batê-las muito. Leva-se esta mistura ao lume a engrossar. Em estando grossa, misturam-se rapidamente as claras. Querendo, leva-se ainda um pouco ao lume.

Fatias da China

Misturam-se e batam-se até engrossar 2 dúzias de gemas de ovos, uma mão cheia de amêndoas pisadas, e 250 g. de açúcar areado.
Deite-se depois tudo isto numa lata untada com manteiga, tape-se bem e introduza-se num tacho com água a ferver, conservando-se aí por espaço de meia hora e tendo-se o cuidado de colocar a lata sobre uma rodilha que se colocará no fundo do tacho, pondo ao mesmo tempo um peso sobre a mesma lata a fim de a conservar segura. Decorrida meia hora retira-se a lata da água, deita-se o seu conteúdo num prato para esfriar; corte-se em seguida a massa em fatias finas e passem-se estas por calda de açúcar em ponto de espadana, polvilhando-as depois de esfriarem novamente, com canela e grangeia.

Pudim Lisboeta

Batem-se 3 ovos com canela em pau, casca de limão ralada, uma chicara de leite e açúcar. Deita-se esta massa numa forma untada de manteiga e vai ao forno cozer.  

domingo, 8 de outubro de 2017

Covilhetes de Amêndoa

Revista Eva, 13 de Junho de 1925

Covilhetes d'Amêndoa

Tomam-se 750 gramas em ponto de secar, deite-se-lhe uma quarta de amêndoa bem pisada, e assim que levantar fervura, tira-se o tacho do lume a esfriar, e neste meio tempo batem-se bem quinze ovos, três destes com clara, deitam-se no tacho este polme, com canela, algumas cascas de limão e torna ao lume, que seja brando; sempre mexendo para que não se pegue, e quando a massa pegar à colher, tira-se outra vez o tacho para esfriar de novo. Untam-se latas com manteiga, e deite-se-lhe a massa dentro sem as acabar de encher para quando crescer não deitar por fora. Vão ao forno que deve ser também brando, e quando estiverem louros, estão cozidos.

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Bolo de Laranja - Fotoreportagem

Mistura-se o açúcar [250 gr.] com a manteiga [150 gr.] e bate-se bem.
Junta-se o sumo de duas laranjas
as gemas e as claras [4 ovos] e bate-se mais.

Deita-se depois a farinha [250 gr.]
e o fermento [1 colher de sopa].
Unta-se a forma e polvilha-se com pão ralado ou farinha.
Já sabem... eu prefiro pão ralado.

E vai ao forno.


E eis um Bolo de Laranja muito fofo, apetitoso e fácil de fazer. Excelente para um chá. Com um bocadinho de gelado ou chantilly a acompanhar também não fica nada mal.
Experimentem e digam-me o que acharam.. espero que gostem.

Pode ver a receita manuscrita AQUI.
Existe outra receita de Bolo de Laranja AQUI.

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Higiene Publica: Envenenamentos involuntários no uso dos alimentos diários.



O museu portuense: jornal de historia, artes, sciencias industriaes e bellas letras, 
N.º 3, 01 de Setembro 1838

Muito engraçado este artigo de 1838 que nos dá uma perspectiva dos perigos/riscos que as pessoas no séc. XIX enfrentavam no consumo diário de alimentos. Através da sua leitura conseguimos perceber os utensilios mais utilizados na conservação e armazenagem de alimentos - sólidos e líquidos - e de como, de facto, a cozinha é uma alquimia... reacções químicas entre componentes e materiais podiam ser fatais, numa altura onde o frigorífico ainda era uma miragem.

Para melhor leitura do texto, clique em cada uma das imagens e na tecla direita do seu rato em "ver imagem".

Frango à Arte Nova

Azulejos : semanario illustrado de sciencias, lettras e artes.
Ano 1, série 1, n.º 22, 17 de Fevereiro de 1908
Frango à Arte Nova

Corte-se o frango e ponha-se a cozer numa caçarola, meio coberto de água, com sal e pimenta, cenouras, cebolas e um pouco de tomilho. Depois de cozido, tirem-se e escorram-se os bocados, polvilhem-se de farinha e frijam-se.
Ponham-se a fritar igualmente cebolas cortadas em rodas, e prepara-se o prato com as cebolas por cima. Deve servir-se sobre um molho de tomate.

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Bola de Carne

Bola de Carne

25 gr. de fermento de padeiro, 125 de leite morno, 1 colher (de chá) de açúcar, 250 de farinha, 1 colher (de chá) de sal, 2 colheres de margarina.

Esfarela-se o fermento numa tigela, polvilha-se com o açúcar e metade do leite morno e deixa-se levedar até crescer o dobro. Depois esfarela-se a farinha e a gordura com as mãos, junta-se o fermento levedado e o resto do leite. Trabalha-se um pouco e estende-se com o rolo em quadrado, cobre-se com fiambre, bacon e carne estufada ou aves, enrola-se depois em diagonal ou em rectângulo. Deixa-se levedar 1 hora. Forno moderado. 

Existem outras receitas de Bolas de Carne neste blog. Procure na barra lateral de entradas do blog... boas escolhas!

sábado, 23 de setembro de 2017

Bolo de Figos



Um homem não é de ferro... vê esta receita de Bolo de Figos do maravilhoso blog da Guida Cândido e entra em trabalhos. Mas compensou. Não ficou lindo?
Vejam aqui a receita e experimentem... não se vão arrepender: http://www.panelasemdepressao.com/2017/09/22/bolo-de-figos-para-receber-o-outono/

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

(Massa) Choux

Choux

Meia chávena de manteiga derretida em 1 chávena de água. Logo que levanta fervura deita-se meia chávena de farinha mexendo sempre. Em arrefecendo deitam-se 3 ovos inteiros, 1 de cada vez e bate-se bem. Vão ao forno forte em latas sacas e põe-se com 2 colheres no tamanho que se quiser.
Depois de frios recheiam-se com creme chantilly, de baunilha ou de chocolate e polvilham-se com açúcar.

domingo, 17 de setembro de 2017

Sopa de Azedas e Sopa de Camarão

Carlos Bento da Maia, Tratado Completo de Cozinha e de Copa,
 edição de 1904, pág. 417

Sopa de Azedas

Lavam-se as azedas, cozem-se, passam-se por uma peneira ou passador fino, junta-se-lhe caldo de carne, queijo ralado, sumo de limão e lança-se a mistura resultante e fervente sobre miolo de pão torrado.

Sopa de Camarão 

Coze-se camarão e pisam-se as cabeças, caudas e cascas, no almofariz, molhando-se com o caldo respectivo. O polme resultante leva-se ao lume com o resto do caldo, um tomate maduro, cabeças de nabos e cenouras cortadas miúdas e, em estando tudo cozido, passa-se por um passador, depois do que o novo polme vai outra vez ao lume, juntando-se-lhe os corpos dos camarões, sal, pimenta, algum vinho branco e água suficiente, lançando-se o caldo formado sobre o pão frio ou torrado, em bocadinhos, e servindo-se em seguida.