domingo, 6 de novembro de 2016

Como preparar um bom chá? O Portugal Feminino responde...

 Portugal Feminino, Ano II, nº 23, Dezembro de 1931

Processo clássico de fazer chá

Há quem julgue que fazer chá é deitar água a ferver sobre as folhas, e nada mais. Ora há um processo clássico, rigoroso, que produz uma bebida cem vezes mais agradável.
Não se deve empregar nem água quente nem água fervida, mas sim água que está fervendo há alguns segundos.
Nos sítios, como Lisboa, onde a água não é de confiança, deve, portanto, escolher-se uma água de mesa, pura, para assim evitar o inconveniente de se beber sem ela ter sofrido os necessários vinte minutos de ebulição. Antes de deitar a água na chaleira, deita-se nesta um pouco de água quente que só se tira no momento em que nela se deita o chá, na proporção duma colherzinha por cada chávena. Em seguida, vaza-se a água fervente por três vezes: primeiro, uma pequena quantidade (correspondente a três cálices de licor) só destinada a humedecer e fazer inchar as folhas; meio minuto depois, mais água, que não exceda metade do recipiente; três ou quatro minutos mais tarde, última parte de água. O chá deve ser servido imediatamente, mas se não puder ser, tiram-se logo as folhas, para que estas não larguem o tanino. O chá passará para outro recipiente e, antes de ser servido, aquece-se a uma chama de álcool, tendo o cuidado de nunca se tornar a fervê-lo. Observando rigorosamente este preceito, a leitora obterá um cházinho capaz de fazer inveja a um mandarim...
 

Portugal Feminino, Ano IV, nº 42, Julho de 1933

Preparação dum bom chá

O chá é uma infusão que, para ser agradável e inofensiva deve ser preparada convenientemente. O processo "russo" é o melhor. Deita-se na chaleira água a ferver, que se vaza fora, daí a momentos; deitam-se, depois, tantas colheres (das de café) de chá preto, quantas são as chávenas, e ainda mais uma, "para a chaleira". Sobre o chá, vaza-se água a ferver (duas vezes menos água do que a necessária para encher as taças). Deixa-se ficar em infusão durante uns 5 a 10 minutos, sobre água a ferver. O chá assim preparado não é para ser bebido puro, mas servirá de extracto. Vaza-se nas taças até um terço destas, que se acabam de encher com água a ferver. Este processo é o que permite obter o chá mais louro e perfumado. Na Rússia não se adoça o chá directamente; bebe-se trincando um torrão de açúcar. O chá assim preparado é uma bebida excelente, que aquece, que provoca leve excitação das células nervosas e activa a digestão. O chá contém, principalmente, cafeína, tanino (donde tira as suas qualidades de contra-veneno), ácidos, sais, um óleo volátil e matérias coradas.

Alguns bolos aqui do blog para acompanharem o Chá:

- Bolo para o chá 
- Bolos de Limão para chá 
- Bolo de Damas para chá 
- Pãesinhos para chá

Companhia Portugueza do Chá - Vieira & Pinto Importação e Comércio de Chá

E porque falamos em chá, não podia deixar de falar de uma maravilhosa casa que existe em Lisboa - A Companhia Portugueza do Chá - Vieira & Pinto Importação e Comércio de Chá - liderada pelo simpático, atencioso, estudioso e excelente fazedor de chá, Sebastian Filgueiras. É uma casa em constante transformação, onde a tradição e a inovação se conjugam num espaço único de beleza, despertando os sentidos e convidando-nos à paz e harmonia, entre bules e folhas de chá, entre biscoitos e compotas, entre dois dedos de conversa e os tesouros que guardam. 
Visitem este casa e garanto-vos que não se arrependerão.
(P.S. - Isto não é publicidade, é partilha de coisas genuínas e verdadeiramente únicas, que vão faltando em Lisboa.)

Morada: Rua do Poço dos Negros, 123. 1200-337 Lisboa