terça-feira, 7 de junho de 2016

Ponche ou Punch

jornal Ribaltas e Gambiarras, redacção Guiomar Torresão, S. 1, n.º 7, 12 Fev. 1881


Ponche

Em época de reuniões e saraus é bom que as donas de casas saibam preparar algumas bebidas, que é de uso servirem-se entre pessoas amigas.
O ponche faz-se da seguinte maneira.
Raspa-se a casca de um limão e junta-se-lhe um pedaço de açúcar pilão, correspondente a meio quilo, ou então espreme-se sobre o açúcar alguns pingos de limão e meio quartilho de infusão de chá verde, adoçado com calda de açúcar. Espremem-se dois limões, extraindo-lhe de antemão as películas e mistura-se-lhe meio quartilho de aguardente ou rum superior; queima-se, agita-se a chama com a colher do ponche e longo que o liquido fique reduzido a duas terças partes, apaga-se o lume e serve-se o ponche quente em taças próprias para o efeito.
O ponche que se faz com vinho branco não se queima.
O de ovo, prepara-se deitando em uma vasilha o ponche já feito e uma gema de ovo: bate-se tudo junto e escalda-se em seguida com água a ferver.

Dicionário (Ana Marques Pereira e Maria da Graça Pericão, no livro de vocabulário gastronómico Do Comer e do Falar):

Quartilho: Antiga medida de líquidos (vinho, leite, etc.) que corresponde à quarta parte da canada; presentemente corresponde a meio litro.

E, já agora, vejamos o que diz o referido livro sobre o Ponche ou Punch:

Bebida que os ingleses estabelecidos na Índia introduziram na Europa no século XVII e que era primitivamente constituída por 5 elementos: Chá, rum, açúcar, limão e canela; era servida numa taça grande designada poncheira; posteriormente surgiram variantes a esta receita, em especial no séc. XIX, em que tomou um papel diferente nos grandes jantares, interrompendo a sequência alimentar e servindo de preparação para o prato principal, o assado (rôti). Ponche.