quinta-feira, 30 de abril de 2015

Pastéis de Belém - Fotoreportagem

 Escalda-se o pão (60 grs.) com um pouco de leite a ferver

 mexe-se bem até fazer uma papa,

 junta-se-lhe açúcar (250 grs.)

 e as gemas (6)

 e passa-se tudo por uma peneira fina,

 junta-se-lhe depois o resto do leite (meio litro, sensivelmente), mas frio.

 Prepara-se uma massa para pastéis muito fina, 
forram-se as forminhas, enchem-se com este doce 
e levam-se ao forno a cozer. 

E CÁ ESTÃO ELES

Quando uma pessoa cisma, cisma a valer. E eu não descansei enquanto não experimentei a receita de Pastéis de Belém que foi colocada no outro dia aqui no blog. Claro que de Belém - que eu, confesso, não sou grande apreciador - não são muito parecidos (talvez já tenham sido, uma vez que o livro de receitas de onde esta foi retirada é de 1970). Os Pastéis de Belém, hoje em dia, parecem um creme de Maizena. Mas estes que fiz ficam uns excelentes pastéis de nata. O recheio é delicioso, com uma belíssima consistência e um aspecto, como podem ver na imagem, muito bom e caseiro.
São super rápidos de se fazerem. A parte chata é colocar a massa folhada nas forminhas. A este propósito, convém pincelar com margarina derretida as ditas para a massa, pelo sim pelo não, colar.
É sem dúvida uma experiência a repetir e repetir e repetir e repetir. Foi mesmo uma agradável surpresa.

E que tal experimentar e dar-me a sua opinião?

Veja a receita aqui.