quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Feliz Ano de 2016


A todos os meus familiares, amigos e seguidores/leitores deste cantinho de memórias e partilha de saudades, o blog As Receitas da Avó Helena e da Avó Eduarda deseja um ano de 2016 muito feliz, em que a serenidade e a Paz seja uma constante. Um bem-haja por mais este ano que passaram comigo.

Beijos e abraços 

Daniel Ferreira

quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

FELIZ NATAL


Junto ao azevinho, com bolinhas vermelhas e tudo, desejo a todos os familiares, amigos e leitores do blog As Receitas da Avó Helena e da Avó Eduarda uma noite de Consoada muito feliz, quente e serena, cheia de luz e paz.

FELIZ NATAL 

domingo, 20 de dezembro de 2015

Nova compilação de doces de Natal


Aqui deixo um apanhado de receitas de doces que estão aqui no blog de As Receitas da Avó Helena e que tornarão a sua Ceia de Natal ainda mais aconchegante.

Arroz doce -
http://asreceitasdaavohelena.blogspot.pt/2013/10/arroz-doce.html?m=0












E BOM NATAL!!!!

sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

Filhós

Serões : revista mensal ilustrada, N.º 73, Jul. 1911, pág. 80


Filhós

Ingredientes necessários: Um copo (dos de água) com leite, dois ovos, quatro colheres (de sopa) de farinha, uma colher (das mesmas) de água, e uma pitada de sal. 
Processo: Põe-se em uma tigela, o sal e a farinha a qual se deverá amolecer com um pouco de leite; batem-se separadamente os ovos, e junta-se depois à farinha e mexe-se tudo bem; no fim, deita-se-lhe o resto do leite e a água. Fregem-se em pouca manteiga, e salpicam-se de açúcar, podendo ser servidas com rodas de limão.

Existem outras duas receitas de filhós: AQUI e AQUI.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Mousse de Laranja

Mousse de Laranja

50 grs. de manteiga, 50 de farinha, sumo de 4 laranjas, 100 grs. de açúcar, 3 ovos.
Derrete-se a manteiga, junta-se o açúcar, o sumo e a farinha. Mexe-se tudo bem e leva-se ao lume a engrossar um pouco. Retira-se e juntam-se as 3 gemas, mexendo bem. Por fim, as claras em castelo, deita-se tudo num pirex, polvilha-se com açúcar e vai ao forno só por uns minutos (poucos).
Existe outra receita de Mousse de Laranja AQUI

sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Pudim de Pão - Fotoreportagem

 Ferve-se meio litro de leite com casca de limão 
que se deita por cima do

 miolo de uma carcaça grande esfarelada
e tapa-se.

 Bate-se 250 grs. de açúcar com 4 gemas e 2 claras,

 junta-se ao pão

 com mais um cálice de Vinho do Porto.

 Leva-se a cozer em forma barrada com açúcar queimado.

E já está 
(sem grande aspecto porque desenformei ainda quente... BURRO)

Das várias receitas de Pudim Pão que existem neste blog, resolvi fazer aquela que me pareceu mais simples para a minha estreia neste género de Pudim. Apesar do aspecto mostrado na fotografia - por culpa minha - o Pudim de Pão ficou óptimo (quem o disse foi o meu Pai que é fã deste género de doce). Eu também não desgostei... tirava, talvez, o vinho do Porto pois confunde o sabor com o do limão.
De textura fica mais ou menos parecido com um Pudim Flan caseiro. Super fácil de se fazer, rápido e dá um bom tamanho. Vale a pena.

Quem quiser experimentar, pode consultar a receita aqui. No entanto, relembro que existem outras receitas de Pudim de Pão no blog. Consulte a lista e veja aquela que mais lhe convém.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Dicionário Prático da Cozinha Portuguesa - Virgílio Nogueiro Gomes



Deixo aqui uma sugestão... não é sugestão de leitura mas sugestão de consulta. O Dicionário Prático de Cozinha Portuguesa, do historiador Virgílio Nogueiro Gomes, é um daqueles livros indispensáveis para profissionais, amadores, conhecedores ou curiosos da "arte da cozinha" portuguesa.

Escrito de uma forma concisa, precisa e simples, ao longo das suas quase 400 páginas vamos desfolhando, alfabeticamente, tudo aquilo que - directa ou indirectamente - diz respeito à cozinha e, muito especialmente, à cozinha portuguesa.

Mas ATENÇÃO: este não é um livro de receitas... um dicionário não diz como se faz mas descreve o que é e o processo para se chegar ao produto final. Ou seja, há entradas do livro que descrevem como os pratos x ou y são realizados, os ingredientes e o método de confecção mas não indica as porções, quantidades ou pesagens. 

Foi um trabalho hercúleo mas, como qualquer outro dicionário, sempre incompleto e em actualização. Não é de estranhar, por isso, o pedido do autor para que o ajudem a completar, aumentar e rever o dicionário para futuras edições (o email é: virgiliosngomes@gmail.com). Isto é válido, sobretudo, para os produtos e doces regionais. Não tem, por exemplo, uma entrada para os meus mais que tudo Pastéis de Vouzela. Não é de estranhar e ninguém leva a mal... este é. sem sombra de dúvida, um enorme trabalho de Virgílio Gomes e que merece estar em local de destaque em todas as cozinhas portuguesas.

Os meus mais sinceros parabéns ao autor e à editora Marcador por esta edição.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Rabanadas à (H)espanhola

Thesouro de Cosinha - Colecção de Manuaes Modernos
por Jorge Cavalheiro, Imprensa Nacional, Porto, 1928, pág.63
Rabanadas à (H)espanhola
Este saboroso doce, com que se classifica o Natal, e sem o qual não há festas completas do Deus-Menino, obtém-se da forma seguinte:
Pão de fôrma, escolhido, de padaria afamada; vinho bom, branco; açúcar refinado; ovos; azeite; manteiga; açúcar pilado.
Forma de Cozinhar: - Posto o pão em fatias, colocam-se estas a abeberar em vinho branco com açúcar; em seguida mergulham-se em ovos batidos por algum tempo.
Vão ao lume sobre azeite fino com manteiga, bem fervido; deixam-se frigir bem.
Completando a receita: - Escorrem-se e polvilham-se com açúcar pilado ou regam-se com calda.
  

sábado, 28 de novembro de 2015

Bolo de Prata - Fotoreportagem

 Amassa-se bem 250 grs. de açúcar com 100 grs. manteiga

 juntam-se as 9 claras batidas em castelo

 e 250 grs. de farinha

 Vai ao forno em forma untada com manteiga
e farinha ou pão ralado a 180º graus

E JÁ ESTÁ

Eis um excelente bolo - Bolo de Prata - para um chá e uma receita excelente para aproveitar claras de ovos. O bolo é fofo, alto, com uma óptima consistência. Excelente barrado com compota ou mel. Espero que gostem da sugestão e que a experimentem. Fico à espera da vossa opinião.

Veja a receita aqui.

Leite Creme - Fotoreportagem

 Bata as 7 gemas com 300 grs. de açúcar, 
bem batidas, até ficarem cremosas e esbranquiçadas.

 Desfaça 2 colheres de sopa bem cheias
de farinha em um pouco de leite frio

 Adicione

 Aqueça bem o restante leite 

 e misture aos poucos (batendo sempre) 
no tacho que contém os outros ingredientes

 Leve a cozer em lume brando

 Até engrossar

E JÁ ESTÁ
Depois é só pôr canela ou queimar 
com o queimador

Aqui está uma óptima receita de Leite Creme, super fácil e de valor garantido (já a fiz três vezes e os elogios foram sempre rasgados). Dá uma boa dose. Experimente.
Para não estragar as claras que sobram pode sempre fazer um Bolo de Prata, um Bolo de Claras ou Suspiros.

Veja a receita do Leite Creme aqui.

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Bolo de Claras - Fotoreportagem

 Batem-se as claras - 5 ou 6 - em castelo.

 200 gramas de margarina derretida

 junta-se a 250 gramas de açúcar

 adicionam-se as claras já batidas

 alternando com a farinha e 2 colheres (de chá) de fermento

 Envolve-se bem

 Forma untada de margarina e farinha ou pão ralado

Forno a 180º graus e

JÁ ESTÁ

Ora aqui está um Bolo de Claras, belo acompanhamento para as Migas Doces da publicação anterior e uma forma óptima de aproveitamento das 6 claras. Muito fácil de confeccionar e fica lindo. Experimente...

Veja a receita do Bolo de Claras aqui.

Migas Doces - Fotoreportagem

 Deita-se o açúcar - 250 gramas - numa vazilha de ir ao fogo, com uns dois decilitros de água, 
leva-se ao lume e quando ferve, mas antes de tomar ponto

 deita-se na calda o miolo de pão - 100 gramas 

 e mexe-se com uma colher de pau 
para desfazê-lo até ficar numa papa, que se deixa engrossar;
 então, tira-se do lume, deixa-se arrefecer o bastante para não talhar as - 6 - gemas, 
as quais se juntam bem batidas continuando a mexer a mistura,

que volta ao lume para cozê-las.

Depois destas cozidas deita-se o doce em pratos, 
polvilha-se com canela e serve-se depois de completamente frio.
 
E JÁ ESTÁ

E são assim as maravilhosas Migas Doces do livro Tratado Completo de Cozinha e de Copa, de Bento da Maia. Pode ver a receita aqui.

Como aproveitamento das claras, acabei por fazer um óptimo bolo chamado - pasme-se - Bolo de Claras... reportagem já a seguir.

Experimente e diga-me o seu resultado... negativo ou positivo.

terça-feira, 24 de novembro de 2015

Massa Folhada


Massa Folhada

Amassa-se meio kilo de farinha com água morna e sal. Pesa-se depois esta massa e leva metade do seu peso de manteiga.
Estende-se a massa com o rolo e põe-se no centro a manteiga partida aos bocadinhos miúdos. Dobra-se a massa com as pontas para o meio, unindo as bordas com água e deixa-se repousar durante 15 minutos. Estende-se depois com o rolo e dobra-se como um guardanapo, repetindo isto 3 vezes. Se aparecer algum bocadinho de manteiga por fora, seca-se com farinha. Tendem-se depois os pastéis como se quiser.

Menús de Outrora - Almoço de Homenagem a Albino dos Reis



Almoço de homenagem ao Senhor Conselheiro Dr. Albino dos Reis - 22 de Dezembro de 1968. O repasto foi servido por Bernardo António Vieira, São Martinho da Gândara, Oliveira de Azeméis.
A ementa é banal, sem grande rasgo. Mais uma vez, a mesa dos doces parece aquela que merece a pena.


Albino Soares Pinto dos Reis Júnior (Loureiro, Oliveira de Azeméis, 30 de Setembro de 1888 — Loureiro, 14 de Maio de 1983), mais conhecido por Albino dos Reis, foi um político, jurista e magistrado, intimamente ligado ao regime do Estado Novo e a António de Oliveira Salazar, que ocupou diversos cargos políticos, entre os quais o de presidente da Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis, Governador Civil de Coimbra, Ministro do Interior, presidente do Supremo Tribunal Administrativo, deputado e presidente da Assembleia Nacional e membro vitalício do Conselho de Estado.
Fonte Wikipédia

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Pudim de Laranja - Outra Receita

Comércio do Porto, 05 de Abril de 1936

Pudim de Laranja

A pedido de uma Matozinhense vai ainda a receita para fazer pudim de laranja.
Pudim de Laranja - Derretam-se em banho-maria, 30 grs. de manteiga e junte-se 250 grs. de açúcar, 10 gemas e 1 clara e o sumo e vidrado de uma laranja.
Mexa-se bem para que fique tudo perfeitamente misturado e deite-se esta massa em forma bem untada de manteiga onde vai ao forno a cozer. Começando a alourar deve cobrir-se com uma folha de papel fino, igualmente untado de manteiga.

Existe outra receita de Pudim de Laranja aqui, receita da minha bisavó paterna.

A limpeza do Fogão a Lenha



A gestão de uma casa grande requer ritmos e tempos bem escalonados e controlados. Achei um piadão a esta "cronologia" da limpeza do Fogão a Lenha da casa de meus Bisavós. Pelos vistos a mesma era feita, mais ou menos, de mês a mês, por vezes com saltos maiores que deviam corresponder a ausências dos donos da casa para férias ou idas a Lisboa, e realizada por um dos criados da quinta, o António.
Fica aqui esta curiosidade. É engraçado poder imaginar a dinâmica e a vida daquela que é a casa da minha vida...

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Palitos de Claras

Felismina Martinho e Judith Osório, Vamos Cozinhar . Apontamentos de Culinária, 
Papelaria A Planeta, Lisboa, 1970 - pág. 115
 
Palitos de Claras
 
Açúcar - 280 gramas
Farinha - 250 gramas
Manteiga - 100 gramas
Ovos - 8 claras
 
Batem-se as claras em castelo. Misturam-se o açúcar, a farinha e a manteiga muito bem com a mão, depois deitam-se as claras. Bate-se mais um pouco a massa deita-se em tabuleiro untado com manteiga e põe-se no forno a cozer.
Depois de desenformado e frio corta-se em fatias que voltam novamente ao forno para torrarem.