sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Pastéis de Nata (versão gigante) - Fotoreportagem

 Num tacho que sirva só a doces, deita-se meio litro de leite, duas colheres de sopa de farinha Maizena, metade duma vagem de baunilha [eu preferi duas cascas de limão] e 200 gramas de açúcar.
ATENÇÃO: Convém desfazer a Maizena, à parte, num pouco de leite morno e depois juntar ao restante leite.
 
 Leva-se ao lume, mexendo sempre, até engrossar.

 Tira-se do lume, deixa-se arrefecer um pouco, juntam-se-lhe seis gemas

 [ATENÇÃO: para não cozerem as gemas, convém retirar um pouco do creme e juntar às gemas, mexer bem, e só depois, em fio fino, juntá-las ao restante creme]

 mexe-se bem e leva-se novamente ao lume a cozer as gemas, sem deixar de mexer.

 Forram-se as forminhas com massa folhada, enchem-se com o creme e levam-se ao forno a alourar.
[Eu prefiro fazer numa tarteira. Dá menos trabalho e fica excelente na mesma. ATENÇÃO: a massa folhada precisa de forno muito quente para crescer bem e mesmo folhada. 200º ou 220º é o ideal]
 
Et voilá

Bonita, hein?!

Aqui está uma proposta de projecto para o Carnaval. Um mega pastel de nata. Super fácil de fazer, delicioso e faz um vistão. Experimente e conte-me a sua experiência. Se acompanhar com fotografias, melhor ainda.

A todos os leitores do Blog desejo um óptimo Carnaval, com muita alegria.

Veja a receita dos Pastéis de Nata aqui.

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Bolachas Margarida

Doces e Cosinhados, de Isalita, Centro Tipográfico Colonial, 1925, pág. 290


Bolachas Margarida

3 ovos, duas colheres de açúcar e duas da farinha de trigo. Batem-se as 3 gemas com o açúcar; tem-se as claras à parte bem levantadas em castelo e juntam-se às gemas assim como a farinha. Bate-se tudo até que fique num polme grosso e com um colhersinha bem pequena vai-se deitando num tabuleiro untado de manteiga. Quer forno quente.
  

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Fatias de Família


Doces e Cosinhados, de Isalita, Centro Tipográfico Colonial, 1925, pág. 213

Fatias de Família

Torram-se as fatias de pão, raspam-se muito bem, molham-se em  vinho abafado branco ou do Porto, passam-se por ovos muito bem batidos e fregem-se em açúcar, em ponto não muito alto, para não se queimarem. Depois de fritas devem regar-se com o mesmo açúcar; polvilham-se de canela.

Doces e Cosinhados - Receitas escolhidas dos Isalita


Um novo livro receitas irá começar a fazer parte deste blog. É o célebre Doces e Cosinhados, da Isalita.
Esta é a primeira edição, de 1925, da responsabilidade do Centro Tipográfico Colonial, de Lisboa. 

sábado, 22 de fevereiro de 2014

Pastéis de Nata e Areias - Opinião

 Areias

Pastel de Nata (versão gigante)

No que toca a guloseimas, resolvi experimentar estas duas receitas, muito apreciadas cá em casa: as Areias - óptimas para um chá das 5 - e Pastéis de Nata, na versão tarte (por uma questão de comodidade). Ambas as receitas são facéis de fazer e não são propriamente dispendiosas e saem muito, mas muito bem. Aceita o desafio? Que tal experimentar e contar-me a sua experiência?

Aqui ficam as receitas:

Bolinhas de Areia

300 grs. de farinha, 100 grs. de açúcar, 200 grs. de manteiga.
Amassa-se tudo junto e tendem-se as bolas pequenas que se vão pondo espaçadas em tabuleiros polvilhados com farinha.
[Leve ao forno cerca de 10 minutos em temperatura 180º. Ainda quentes, passe pelo açúcar para agarrar melhor]
 
Pastéis de Nata
 
Num tacho que sirva só a doces, deita-se meio litro de leite, duas colheres de sopa de farinha Maizena, metade duma vagem de baunilha e 200 gramas de açúcar.
Leva-se ao lume, mexendo sempre, até engrossar.
Tira-se do lume, deixa-se arrefecer um pouco, juntam-se-lhe seis gemas, mexe-se bem e leva-se novamente ao lume a cozer as gemas, sem deixar de mexer.
Forram-se as forminhas com massa folhada, enchem-se com o creme e levam-se ao forno a alourar.
 
Sucessos garantidos... 

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Bolinhas de Areia


Bolinhas de Areia

300 grs. de farinha, 100 grs. de açúcar, 200 grs. de manteiga.
Amassa-se tudo junto e tendem-se as bolas pequenas que se vão pondo espaçadas em tabuleiros polvilhados com farinha.

domingo, 16 de fevereiro de 2014

Bolo de Viena - Berta Maia de Loureiro


Bolo de Viena

Para a massa: sete ovos, 14o grs. de chocolate ralado, 140 grs. de amêndoa ralada, 140 grs. de açúcar.
Batem-se durante um quarto de horo as gemas com o açúcar, depois misturam-se o chocolate e amêndoa ralados e, por fim, as claras em castelo.
Vai ao forno. Depois de frio, corta-se ao meio e recheia-se. Cobre-se com o mesmo recheio e amêndoas raladas.

Para o recheio: 140 grs. de manteiga sem sal, 140 grs. de açúcar, 140 grs. de chocolate e 2 ovos inteiros.
Batem-se durante muito tempo a manteiga com o açúcar e misturam-se os ovos, um de cada vez, continuando a bater-se. Por último, mistura-se o chocolate derretido em banho Maria.

Este recheio também é muito bom, feito como "mousse" de um dia para o outro. 

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Solteirinhos

Manual do Confeiteiro e Pasteleiro: Nova arte do Conserveiro e Doceiro, Enciclopédia Bordalo, 
Vol. XII, Editor Arnaldo Bordalo, Lisboa, 1904 - pág.240

Solteirinhos

Tomam-se 250 gramas de amêndoas doces e 500 gramas de açúcar; acrescentam-se alguns ovos, 250 gramas de manteiga fresca e 500 gramas de farinha de trigo.
Amassa-se tudo muito bem, e fazem-se uns biscoitos que, sobre latas, vão a forno brando.

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Bolo Espuma do Mar

 
Laura Santos, A Mulher na Sala e na Cozinha, Editorial Lavores, 
11. Edição, s.d., pág.210
 
Bolo Espuma do Mar
 
 
Batem-se 4 gemas com 250 gramas de açúcar e três colheres de sopa bem cheias de mel, deitam-se as 4 claras batidas em castelo e depois 250 gramas de farinha misturada com um colher de sopa de fermento.
Leva-se a cozer em forma bem untada de manteiga e polvilhada de farinha.
Depois de desenformado, cobre-se o bolo com glacê branca e, antes de a glacê secar, polvilha-se fartamente com côco ralado - o que lhe dá uma bonita aparência. 

domingo, 9 de fevereiro de 2014

Línguas de Gato


Carlos Bento da Maia, Tratado Completo de Cozinha e de Copa,
 edição de 1904, pág.577
Línguas de Gato
Gema de ovo - 1
Claras - 4
Açúcar pilado - 400 gr.
Farinha muito fina - 350
Vidrado de limão ralado - q. b.
Manteiga para untar - q. b.

Batem-se muito bem a gema, as claras dos ovos e o açúcar e, depois de bem ligados, junta-se à massa farinha muito fina, deitada a pouco e pouco e raspa de limão em maior ou menor quantidade conforme os gostos. A massa deita-se num saco de pano estreito e cónico terminado por um pequeno cone de folha de Frandres com uma pequena abertura correspondente ao vértice, pela qual sai a massa quando se aperta o saco [é um saco de pasteleiro].
Sobre um tabuleiro de ir ao forno estende-se papel bem untado com manteiga, por cima desse papel vão-se deitando, por meio de apertos, no saco, bocadinhos de massa alastrados e compridos que devem ter a forma das línguas dos gatos e depois leva-se o tabuleiro ao forno a cozer. Este processo de distribuir a massa pode ser aplicável a biscoitos de qualquer composição, quando a massa seja um pouco fluida. Também se emprega para frituras.


quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Sobremesa Rápida - Fotoreportagem


 250 gr. de açúcar

 6 bananas às rodelas finas

 6 gemas

 Sumo de 3 ou 4 laranjas

 Faz-se uma Calda em Ponto de Pasta e, 
quando pronta, colocam-se as bananas

 Depois as gemas

 E, por fim, o sumo de laranja,
mexendo sempre

E fica um creme com este (semi) aspecto

Há poucos dias coloquei uma receita intitulada de Sobremesa Rápida, pertencente à minha Avó Eduarda. Eu, confesso, desconfiei imenso da receita. A conjugação bananas e sumo de laranja soa-me, no mínimo, mortifera. Mas qual não é o meu espanto quando, ao comentar a dita receita com a minha Mãe, ela ter dito que era uma óptima sobremesa e que gostava imenso e que há anos não comia nenhuma. Bem dito, bem feito. Arregacei as mangas e resolvi experimentar fazê-la... meia receita, não fosse a coisa resultar. Não sei se ficou bom, pois ainda está a arrefecer para depois provarmos. Tenho algumas duvidas porque as bananas de hoje são bem maiores do que as bananas de outrora, assim como as próprias laranjas que, apenas com uma, quase que enchemos um copo. De qualquer forma fiz mesmo meia receita. A Mãe dirá de sua justiça e eu depois transmitirei.

Para a Calda em Ponto de Pasta, utilizei as orientações do site da RAR Açúcar, que diz:

1. Ponto de Pasta ou Calda Fraca

190 ml de água / 250g de açúcar
Levar o açúcar ao lume juntamente com a água e deixar ferver durante 1 minuto. Introduzir uma colher de pau na solução fervente e retirar de seguida. Deixar escorrer para o tacho e se a calda correr como se fosse água, o açúcar ainda não tem ponto. Logo que comece a aderir à colher uma pequena camada de açúcar, está em ponto de pasta. (Temperatura 101º C).

Entretanto se algum corajoso quiser experimentar e compartilhar connosco a aventura da Sobremesa Rápida, cá estarei para os "ouvir".

Veja a receita aqui.


Pastéis de Nata

Laura Santos, A Mulher na Sala e na Cozinha, Editorial Lavores, 
11. Edição, s.d., pág. 300
 

Pastéis de Nata
 
Num tacho que sirva só a doces, deita-se meio litro de leite, duas colheres de sopa de farinha Maizena, metade duma vagem de baunilha e 200 gramas de açúcar.
Leva-se ao lume, mexendo sempre, até engrossar.
Tira-se do lume, deixa-se arrefecer um pouco, juntam-se-lhe seis gemas, mexe-se bem e leva-se novamente ao lume a cozer as gemas, sem deixar de mexer.
Forram-se as forminhas com massa folhada, enchem-se com o creme e levam-se ao forno a alourar.

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Sobremesa Rápida

 
Sobremesa Rápida
 
250 gr. de açúcar no ponto de pasta. Deita-se-lhe 6 bananas às rodelas finas, 6 gemas e o sumo de 3 ou 4 laranjas.
Vai de novo ao lume para cozer os ovos. Mexer sempre para não agarrar.

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Biscoitos de Café

 
Doces e Gelados de Café, Edição da Divisão de Propaganda da Junta de Exportação do Café 
[Ministérios do Ultramar e da Economia], Oficinas Gráficas da Papelaria Fernandes, 1960 - pág. 20
 
 
Biscoitos de Café
 
3+1/2 [meia] chávenas de farinha peneirada; 1/4 [um quarto] de colher de chá de sal refinado; 1/2 [meia] colher de chá de fermento em pó; 1 colher de chá de canela; 1 chávena de manteiga ou margarina derretida em banho-maria; 1+1/4 [um quarto] de chávena de açúcar; 1 chávena de café; 2 ovos; açúcar e canela misturados para polvilhar; cerejas cristalizadas e metades de nozes.
 
Mistura-se a farinha, o fermento, a canela e o sal. Bata a manteiga e o açúcar até ficar bem ligado. Adicione os ovos um a um mexendo bem após cada adição. Junte o café e os elementos secos e mexa bem. Tape e deixe repousar até esfriar completamente. Vaze em formas redondas e polvilhe com o açúcar e a canela misturados (cerca de uma colher de chá de canela para meia chávena de açúcar). Ponha uma metade de noz e uma metade de cereja cristalizada no cimo de cada biscoito. Vai a forno moderado cerca de 12 a 15 minutos. Dá cerca de cinco dúzias.