sábado, 28 de dezembro de 2013

Galinha Mulata

Laura Santos, A Mulher na Sala e na Cozinha, Editorial Lavores, 
11. Edição, s.d., pág. 125
Galinha Mulata

Quando se mata uma galinha, apara-se o sangue para uma tijela na qual se põem algumas gotas de vinagre. Guisa-se a galinha, quando estiver quase pronta junta-se-lhe o sangue que se deixa ferver.
Num prato coberto têm-se fatias de pão muito torradinhas, deita-se-lhes para dentro a galinha, ensopando bem o pão no molho de cabidela.

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Quadrados de Peixe e Recheio de Creme de Peixe

Laura Santos, A Mulher na Sala e na Cozinha, Editorial Lavores, 
11. Edição, s.d., pág. 103

Quadrados de Peixe

Batem-se seis gemas de ovo com seis colheres de farinha, duas colherzinhas de fermento e uma chávena de leite; quando está tudo bem batido, juntam-se as claras batidas em castelo e vai ao forno em tabuleiro untado de manteiga.
Depois de cozido, tira-se do tabuleiro, corta-se  ao meio e depois duas vezes a atravessar, fazendo, assim, seis quadrados; abre-se ao meio cada quadrado e enche-se de creme de peixe. Dispõe-se numa travessa, formando losangos; à volta, leva esparregado; nos quadrados e nos intervalos dos losangos, deita-se o seguinte molho:
Leva-se ao lume, a derreter, duas colheres de manteiga; quando começa a alourar, deita-se uma colherzinha de farinha, deixa-se ferver e junta-se um pouco de leite.

Laura Santos, A Mulher na Sala e na Cozinha, Editorial Lavores, 
11. Edição, s.d., pág. 103-104

Recheio de Creme de Peixe

Pica-se ou passa-se pela máquina uma porção de peixe cozido; em seguida, faz-se um refogado com um pouco de azeite, um dente de alho picado e muito pouca cebola bem picadinha; depois de estar levemente refogado, deita-se-lhe o peixe e refoga outro bocadinho.
Desfaz-se uma colherzinha de farinha de trigo, num pouco de leite, junta-se ao peixe até formar creme; tira-se do lume, deixa-se arrefecer, junta-se-lhe duas gemas e leva-se a lume brando a cozê-las; depois das gemas cozidas e já fora do lume, deita-se-lhe sumo de limão. 

Canja de Galinha

Laura Santos, A Mulher na Sala e na Cozinha, Editorial Lavores, 
11. Edição, s.d., pág. 74

Canja de Galinha

Numa panela com água, deita-se uma talhada de presunto e tempera-se com sal. Quando ferver, deita-se dentro a galinha mas não se deixa cozer completamente, pois, geralmente, a galinha aproveita-se para outra iguaria. Quando o caldo estiver apurado, deita-se uma pequena porção de arroz e os miúdos de galinha partidos em pedaços pequenos. 

A Mulher na Sala e na Cozinha - jantar de ano novo


 

Mais um livro de cozinha que descobri aqui pelo  . Chama-se A Mulher na Sala e na Cozinha (um título que aos olhos de hoje parece quase ofensivo), de Laura Santos, 11. Edição, sem data.
Neste livro sugerem-se menús para diferentes festividades. Aqui deixo a sugestão para o Jantar de Ano Novo. Irei, aos poucos, apresentar-vos as receitas.

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

No dia do terceiro aniversário


Passam hoje três anos do desaparecimento da minha Avó Helena, "mentora" espiritual deste blog de partilha de receitas, memórias e vivências. 
Nesta fotografia, a minha Avó Maria Helena aparece junto de meu Avô Delfim (aqui já com 100 anos), companheiro de mais de 50 anos.
Não podia deixar de prestar a minha homenagem a ambos, tão presentes e queridos que foram (são e sempre serão) durante toda a vida. 
A minha eterna saudade.

Recordações

O Natal é propício a recordações e nostalgia. Como estou de férias no Norte de Portugal, em casa de minha Avó, deixo aqui três imagens: a primeira são algumas cerâmicas antigas que eram, em tempos idos, utilizadas  pelas cozinheiras da casa. A segunda imagem, mais pessoal e que me enche de ternura, a caneca pela qual tomava o pequeno-almoço quando era miúdo. A terceira um pormenor da cozinha, de coisas de outros tempos. 
Espero que gostem.
Continuação de festas felizes. 





terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Feliz Natal e Próspero Ano Novo


Queridos leitores do Blog As Receitas da Avó Helena e da Avó Eduarda

É com a mesa posta para a ceia de Consoada que vos desejo um Natal muito feliz e um excelente 2014 pleno de concretizações, paz e serenidade. Espero poder contar com as vossas visitas durante o ano que se aproxima.

Um beijo e um abraço amigo

José Daniel Ferreira  

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Bolo de Chantilly

 

Bolo de Chantilly

500 gr. de palitos "la reinne", 20 ovos, 500 gr de açúcar e 200 de amêndoa pelada e moída.
Fazem-se os ovos moles com o açúcar e a amêndoa, pelo processo vulgar, deixando ficar bem grossos. Toma-se um prato redondo, de preferência fundo, forra-se com uma camada de palitos, barram-se com os ovos moles que devem ser feitos de véspera, para secarem.
Com os restantes palitos faz-se uma cercadura em volta, mantendo-os ao alto e seguram-se com uma fitinha. Enche-se com os restantes ovos moles e por cima as natas batidas, polvilhando-se com amêndoa ralada e torrada.

Ovos Moles: Leva-se o açúcar ao lume com água suficiente para cobrir e deixa-se chegar a ponto. Deixa-se esfriar um pouco e juntam-se as gemas batidas e leva-se ao lume para fazer ovos moles.

 

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Tarte de Folhas

 

Tarte de Folhas
125 de manteiga
125 de açúcar
125 de amêndoa
250 de farinha
1 ovo inteiro e geleia

Faz-se uma massa com todos estes ingredientes sendo a manteiga derretida e a amêndoa descascada e moída e deixa-se descansar meia hora.
Estende-se com o rolo e cortam-se folhas redondas que se cozem em forno forte. Arruma-se o bolo com estas folhas sobrepostas e barradas com geleia, compota ou natas.
Cobre-se com açúcar.
 

domingo, 15 de dezembro de 2013

Bolo de Batata - Fotoreportagem

 Cozem-se e esmagam-se 3 ou 4 batatas (125 gr.)


 Junta-se 200 gr. de açucar,


 125 de farinha,


 4 gemas,


 4 claras batidas em castelo e 1 colher (de chá) de fermento

et voilá.

Aqui está um Bolo de Batata, muito simples de se fazer e saborosissimo. Fica muito fôfo, com óptimo consistência. Eu não fiz, por preguiça, os ovos moles para cobrir o bolo. Mas garanto-vos que com compota fica muitissimo bom. Um excelente acompanhamento para um chá ou refresco.

Experimente. E diga-me como correu e as reacções obtidas. As minhas não podiam ter sido melhores.

Veja a receita aqui.

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Pudim de Claras

Pudim de Claras

6 claras, 12 colheres de açúcar.
Batem-se as claras, juntam-se 4 colheres de açúcar e continua-se a bater até ficarem bem firmes. Põe-se o resto do açúcar numa caçarola e leva-se ao lume a fazer caramelo. Vaza-se por cima das claras, continuando a bater. Deita-se numa forma de buraco, untada de manteiga e leva-se ao forno 20 minutos.
Desenforma-se para o prato de serviço e enche-se o centro com o creme seguinte:
3 gemas, 250 de leite, 4 colheres de açúcar, 1 colher (de chá) de maizena e casca de limão.

domingo, 8 de dezembro de 2013

Doces para a Ceia de Natal



Aqui deixo um apanhado de receitas de doces que estão aqui no blog de As Receitas da Avó Helena e que tornarão a sua Ceia de Natal ainda mais aconchegante.

Arroz doce -
http://asreceitasdaavohelena.blogspot.pt/2013/10/arroz-doce.html?m=0












E BOM NATAL!!!!

sábado, 7 de dezembro de 2013

Morcelas de Arouca

 
Carlos Bento da Maia, Tratado Completo de Cozinha e de Copa,
 edição de 1904, pág.585/586
 
Morcelas de Arouca
 
Lombo de porco fresco gordo - 1000 gr.
Pão ralado - 1500 gr.
Açúcar - 2000 gr.
Amêndoas doces, descascadas e peladas - 250 gr.
Cravinho da Índia - q.b.
Canela em pó - q.b.
 
Corta-se o lombo do porco aos pedaços e deita-se em água fervente, que o cubra, numa panela tapada e deixa-se cozer em lume brando, até que a carne, quase, se desfaça.
Na panela tem-se deitado, metidos numa esfera de rede, alguns cravos da Índia. Despeja-se depois a panela sobre um passador e a carne lança-se sobre o pão ralado, juntamente com a gordura que se tirar do caldo que passou através do passador.
Põe-se ao lume o açúcar com metade do seu peso de água e, depois de estar limpo e em ponto de espadana larga, mistura-se com a amêndoa perfeitamente pisada e um pouco de canela em pó e lança-se sobre a mistura do lombo de porco cozido e pão ralado; liga-se tudo muito bem, junta-se alguma banha de porco, se a gordura apurada for pouca, e enchem-se com esta mistura as tripas, que devem ter de diametro de cerca quatro centimetros e ficarem com o comprimento de doze centrimetros proximadamente, para cada morcela. As morcelas de Arouca comem-se quentes, fregindo-as em manteiga ou em banha de porco.
Para maior perfeição, pode pisar-se a carne num almofariz.
  

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Tarte de Chocolate e Natas

 
(letra do Avô Delfim)

Tarte de Chocolate e Natas

Massa:
250 gr. de bolacha Maria
150 gr. de margarina
1 ou 2 colheres de açúcar (se quiser)

Recheio:
2,5 dl. de leite
30 gr. de farinha de trigo
50 gr. de açúcar
1 1/2 [uma colher e meia] de chá de farinha maizena
2 ovos
30 gr. de manteiga ou margarina
125 de chocolate em barra
2 colheres de chá de rum (ou aguardente)
Açúcar em pó

Guarnição:
125 gr. de natas
1 1/2 [uma colher e meia] de sopa de açúcar
1 colher de sopa de leite
Chocolate ralado

Forra-se a forma de tarte com a massa de bolacha e leva-se a prender no frigorifico.
Leva-se o leite ao fogo a aquecer.
Numa tijela mistura-se o açúcar com as farinhas e os ovos batidos. Regue com o leite e depois destes ingredientes ligados, leve o preparado a lume brando mexendo sempre, até levantar fervura. Retire, então, do calor e junte a margarina cortada em bocadinhos, o chocolate ralado e o rum. Bata até obter uma mistura fôfa e homogênea e deixe arrefecer.
Espalhe o recheio dentro da forma, polvilhe com açúcar em pó e leve ao frigorifico.

Para a guarnição bata as natas com o açúcar e o leite. Ponha isso sobre a tarte pouco antes de servir. Polvilhe com chocolate ralado. 

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Manjar Branco

 
Carlos Bento da Maia, Tratado Completo de Cozinha e de Copa,
 edição de 1904, pág.578/579
Manjar Branco
Peito de galinha - 1
Leite - 2 litros
Açúcar - 1000 gr. [1 quilo]
Farinha de arroz - 500 gr.
Idrolato de flôr de laranja - q.b.

Tome-se a febra de um peito de galinha meio cozido, passe-se na máquina de picar e pise-se em seguinda num almofariz, juntem-se-lhe depois dois litros de leite, 1 kilograma de açúcar e 500 gramas de farinha de arroz; mexa-se tudo muito bem e ponha-se ao lume, até estar bem cozido, acrescentando mais leite, se for necessário.
Quando estiver cozido, o que se conhece por um aspecto gelatinoso que apresenta um bocada de massa tirada com a ponta de uma faca, aromatize-se com água de flor de laranja, tire-se do lume e coloque-se dividido aos pedaços em tigelinhas, dentro das quais vai ao forno a corar.
  

Ideias da Gi - Cupcakes


Sai um pouco do âmbito deste blog mas não podia deixar de mostrar estes maravilhosos Cupcakes que uma grande amiga faz e comercializa. Porque os olhos também comem... e estes duram uma eternidade.

Cupcakes em feltro!

Porta-chaves e pregadeiras, bordados a linha filosel e decorados com botão e fita decorativa.
Aprox. 6 cm
5 euros

Saiba mais em: https://www.facebook.com/Ideias.da.Gi

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Fatias Torradas

 
Comércio do Porto, 30 de Novembro de 1930
 
 
Fatias Torradas
Açúcar pilado - 250 gr.
Gemas de ovos - 18
Claras - 10
Farinha de trigo - 500 gr.
Canela em pó - q.b.
Vidrado de casca de laranja - q.b.
Manteiga para untar - q.b.
 
Deite-se num alguidar o açúcar pilado e as gemas, mexendo bem até que as massa fique quase branca; juntem-se-lhe, então, pouco a pouco, as claras batidas e, depois de ligadas, a farinha, também pouco a pouco, duas pitadas de canela em pó e o vidrado duma laranja finamente ralado.
Unte-se com manteiga um tabuleiro de folha, cubra-se o fundo com um papel também untado com manteiga; sobre este papel deite-se a massa que não deve ficar muito espessa e assim vai ao forno. Quando estiver cozida a massa, tire-se do forno e, depois de fria, do tabuleiro. Tostam-se então fatias de grandeza média que se levam ao forno a corar de ambos os lados.
São esplêndidos para servir com chá.
 

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Fatias da China, à Portuguesa

 
Manual do Confeiteiro e Pasteleiro: Nova arte do Conserveiro e Doceiro, Enciclopédia Bordalo, 
Vol. XII, Editor Arnaldo Bordalo, Lisboa, 1904 - pág. 53
 
 
 
Fatias da China, à Portuguesa
 
Tomam-se 4 dúzias de gemas de ovos, que se batem até ficarem quase brancas, e se deitam depois numa tigela de folha, previamente untada de manteiga de vaca. Tapam-se e cozem-se em banho maria; em estando cozidas, tira-se da tigela do banho, deitam-se os ovos em um prato, os quais apresentarão o aspecto de pão de ló; em estando frios cortam-se em fatias, passam-se estas por calda de açúcar, e cobrem-se depois de canela e grangeia, indo assim à mesa.